16.9.06

Eros

 


Nunca o verão se demorava assim nos lábios

e na água

- como podíamos morrer,

tão próximos

e nús e inocentes?

Eugénio de Andrade

2 comentários:

Fábio disse...

Foi de pijama, o genial sr.Eugénio.
Obrigado pela partilha Eve. Beijinhos

Anjinha disse...

Owa :o)
Bigado pela tua visita lá no nosso cantinho :o)
Espero ver-te por lá mais vezes :o)

BEijinho

Subscribe