16.8.06

Memória

 

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido

contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis

tornam-se insensíveis
à palma da mão.

Mas as coisas findas,

muito mais que lindas,
essas ficarão.

Carlos Drummond de Andrade

4 comentários:

Eu disse...

Nunca se perde. Guarda-se bem fundo e saboreia-se com dor e resignação. Não quisemos quando tinhamos, não nos querem quando desejamos. Será irónico, mas o adjectivo certo é mordaz. Enfim, como diria o saudoso, "as coisas findas ficarão". Se valeu não esquece. Adoro quando plasmas este Cavalheiro aqui.

Anónimo disse...

O Cavalheiro é muito bonito, o Cavalheiro escreve muito bem, mas o que a malta quer é ler-te a ti.

P.

Carla Ferreira disse...

Bela escolha!
Tudo o que se ama é o sentido.

Su disse...

excelente a tua escolha :)
jocas maradas

Subscribe