(para o Eu... na volta e do Drummond)



A poesia é incomunicável.

Fique torto no seu canto.

Não ame.
Ouço dizer que há tiroteio
ao alcance do nosso corpo.


É a revolução?

o amor?

Não diga nada.

Tudo é possível, só eu impossível.

O mar transborda de peixes.

Há homens que andam no mar

como se andassem na rua.

Não conte.

Suponha que um anjo de fogo

varresse a face da terra
e os homens sacrificados
pedissem perdão.

Não peça.



Carlos Drummond de Andrade

Subscribe