Tenho fases, como a lua.
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.
Fases que vão e vêm
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.
E roda a melancolia
seu interminável fuso!
Não me encontro com ninguém
(tenho fases, como a lua...)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu...

Cecília Meireles

8 comentários:

Crix disse...

Lindo, Eva... como sempre...
e se te anima eu tambem tenho as minhas fases, toda a gente tem (acho eu, rs)

J. disse...

Eu também tenho fases.
E também sou de luas...

Beijos

Moura disse...

Alguém que tem o privilégio de viver perto do Monte da Lua, ou Promontorium Lunae,(como era conhecida Sintra na Antiguidade Clássica) terá com frequência boas luas...

Eu disse...

E quem as não tem? A verdadeira sarda, o fabulástico mesmo está em as sabermos perceber, estimar e admirar. E aí, zuza zupa, somos "de todo o mundo e de ninguém". Somos o outro e não somos de companhia. Ah! Ele há lá coisa mais deliciosa que ter fases como a lua?

Tozé Franco disse...

Grande poema. Gostei.
Quanto às fases todos as temos...até a Lua.
Um abraço.

Claudia Sousa Dias disse...

Um beijinho para ti.

Que a tua Lua esteja semprecheia e luminosa, ou na pior das Hipóteses que as fases obscuras durem sempre o menos possível.

Tudo de bom.

CSD

Anónimo disse...

Este poema da Cecília Meireles "soa-me" a Florbela Espanca.
Muito bonito!

Cleopatra disse...

é um dos meus, dela, poemas preferidos!

Subscribe