"Há no homem o dom perverso da banalização.
Estamos condenados a pensar com palavras, a sentir em palavras, se queremos pelo menos que os outros sintam connosco.
Mas as palavras são pedras.”

Vergílio Ferreira, in "Aparição"

Posted by Picasa

6 comentários:

Nuno disse...

Evitaaaaaaaaaaaa. Estás linda nessas pedras fantasticas... Este blog está altamente........... Muitos beijinhus e keru mais fotos potentessssssssss. Nuno

Ósvaldo Pato disse...

Esta frase, afirmando que as palavras são pedras, fez surgir uma ténue luz neste espírito enegrecido pela lógica matemática: estamos nós perante uma equivalência em um ou nos dois sentidos? Porque se for a segunda hipótese, poderíamos, com toda a naturalidade, dizer que as pedras são palavras. Em consequência, navegar para outras metáforas é menos do que um pulinho. Seria de esperar que a miudagem, sempre à PROKURA de formas próprias de expressão necessariamente em rotura com a dos papás, passasse a dizer "estou cá com uma palavra...". Os papás, em particular aqueles cujo ganha-pão depende do voto dos adultos mas que insistem em ter a miudagem do seu lado, passariam a ter o "dom da pedra". E a simbologia da "pedra sobre pedra" seria expandida a "pedra sobre palavra", "palavra sobre pedra" e "palavra sobre palavra". O que nos leva, finalmente, uma pretensa conclusão. É claro que podemos atirar um livro a alguém, com maior ou menor força, na brincadeira ou traiçoeiramente, em desespero ou simplesmente em gesto instrutivo. Estamos, literalmente, a encher de energia cinética um monte de palavras, tal como faríamos com a pedra cerrada na mão, prestes a ganhar rumo próprio. Sim, ambos magoam se forem jogadas com essa intenção. Pedras as há que são preciosas, como o são palavras que nos são queridas. Mas o que não podemos é ter uma cabeça cheia de pedras, como se memórias, desejos e ideias se tratassem. Excepto algumas pessoas!

kaldinhas disse...

Palavras podem ser pedras quando atiradas a alguém.Não têm volta.As palavras podem ferir mais que pedras.

Eva,estou espantada,abismada,de boca aberta... ai sei lá eu que mais.Gostei sinceramente do bloga mucho.Bons textos e excelentes imagens.Parabéns e boa sorte nesta vida blogueira.sabes que isto vicia?? ehehhhe.
Beijinhos e bom fim de semana

Anónimo disse...

Era uma vez um rapaz que perguntou a uma rapariga:

-Queres casar comigo?
Ela respondeu:
-NÂO!
E o rapaz viveu feliz para sempre, caçou, foi à pesca, teve sempre tempo
para ver os jogos na Sport TV, bebeu a cerveja que aguentou, e voltou para
casa sempre à hora que lhe apeteceu..........
(e foi feliz para sempre)

FIM


Avaz

mjose disse...

E de pedras falou também Linhares Barbosa neste poema que fez e Amália Rodrigues o cantou muito bem com o Título "Fado Corrido":

Lá porque tens cinco pedras
Num anel de estimação
Agora falas comigo
Com cinco pedras na mão

Enquanto nesses brilhantes
Tens soberba e tens vaidade
Eu tenho as pedras da rua
P'ra passear à vontade

Mas não passes sorridente
A lardear satisfeito
Pois hei-de chamar-te à pedra
Pelo mal que me tens feito

Hás-de ficar convencido
pela afirmação consagrada
Quem tem telhados de vidro
Não deve andar à pedrada.

Beijos Eva
O teu Blog está simplesmente soberbo!

Cleopatra disse...

Não é uma resposta.. é mais uma reflexão..
Um dia destes faço uma reflexão minha com este tema.

As palavras - Eugénio de Andrade

São como um cristal
As palavras.
Algumas, um punhal,
Um incêndio.
Outras, orvalho apenas.
Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam:
Barcos ou beijos,
As águas estremecem.
Desamparadas, inocentes,
Leves.
Tecidas são de luz
E são noite.
E mesmo pálidas
Verdes paraísos lembram ainda.
Quem as escuta? Quem
As recolhe, assim,
Cruéis, desfeitas,
Nas suas conchas puras?
****

Subscribe