Quando até os sinais ortográficos falam por nós e mostram aquilo que sentimos.
Aqui vai. Do O'Neill.

"?
Serás capaz de responder a tudo o que pergunto?


,
Quando estou mal diposta (e estou muitas vezes...) mudo o sentido às frases, complico tudo...


§
Tenho o colo do cisne e o corpo de hipocampo.

^
Se me puseres serás as mais bonita das mulheres.

ç
Uma vírgula rebaixada à condição de cedilha.


( )

Quem nos dera juntos sem grandes apartes metidos entre nós.

~
Desafio um francês a possuir-me quando estou, por exemplo, em croação...

~
Sou mesmo útil!
Em certas caligrafias quase voo como uma andorinha destelhada...
Noutras sou sobrancelha franzida
.
Que eu saiba sé em Éluard sou único e final.

:
introduzimos por vezes frases nada agradáveis...


!
Experimenta falar pela minha boca,
assoar-te pelo meu nariz...

^
Para ladrar, o cão não precisa de mim.
Dou guarida e afecto a vogal que procure um tecto.

_
Que nos separa, Amor, um traço de união?

...
Em aberto, em supenso
fica tudo o que digo.
E também o que faço é reticente."



In "Poesias Completas", de Alexandre O'Neill

2 comentários:

Perfeccionista disse...

Boa noite

apenas alertar p o título do blog - será "Me Bloga Mucho" pois o pronome pessoal "me" em espanhol é igual ao português. "Mi" é pron. possessivo, p.ex. "mi amigo".~
Aliás basta ver o "Besame mucho" e náo "Besami mucho"...

Saludos!

Luis Eme disse...

Grande O'Neill...

só ele para construir poesia do quase nada...

Subscribe