Tudo era claro:
céu, lábios, areias.
O mar estava perto,
Fremente de espumas.
Corpos ou ondas:
iam, vinham, iam,
dóceis, leves,
só alma e brancura.
Felizes, cantam;
serenos, dormem;
despertos, amam,
exaltam o silêncio.
Tudo era claro,
jovem, alado.
O mar estava perto,
puríssimo, doirado.

Eugénio de Andrade
Posted by Picasa

12 comentários:

FH disse...

Olá Eva.
Não pude deixar de reparar na hora em que "postou" este poema de Eugénio de Andrade no seu blog.
Como sempre a fotografia é belíssima e o poema deslumbrante.
Um apelo ao sonho , ou o apelo do sonho ?...
No dia de hoje, em particular, (14/02) muitos sonham alcançar uma miragem que estou convenciada só é odisseia com viabilidade aos poetas que pondo a alma , e os sentidos em palavras, criam , como por uma espécie de ilusionismo convincente, a ideia de que o amor pode ser um conceito concretizável , real e verdadeiro...
Já pensou apresentar o seu blog à " Comercial" , programa da Vanda Miranda ou Pedro Ribeiro " O meu blog ´dava um programa de rádio "?
Vá lá, não guarde para si só as suas potencialidades...

FH disse...

Olá Eva.
Não pude deixar de reparar na hora em que "postou" este poema de Eugénio de Andrade no seu blog.
Como sempre a fotografia é belíssima e o poema deslumbrante.
Um apelo ao sonho , ou o apelo do sonho ?...
No dia de hoje, em particular, (14/02) muitos sonham alcançar uma miragem que estou convenciada só é odisseia com viabilidade aos poetas que pondo a alma , e os sentidos em palavras, criam , como por uma espécie de ilusionismo convincente, a ideia de que o amor pode ser um conceito concretizável , real e verdadeiro...
Já pensou apresentar o seu blog à " Comercial" , programa da Vanda Miranda ou Pedro Ribeiro " O meu blog ´dava um programa de rádio "?
Vá lá, não guarde para si só as suas potencialidades...

nahar disse...

Eva, por lapso apaguei o email com as fotos crueis daquela criança que por fome roubou um pão, mas sempre podes tirar as fotos e o texto que estão no meu blog. Obrigado

LusitanaPaixão disse...

Bem escrito
Um pensamento em poesia.
E vá lá perceber-se porque é que há criaturas estranhas que não gostam de fazer amor na praia!!!
Deve ser com medo que "entre areia".
Por mim não há nada mais sentido que um beijo ao pôr do sol ou ao luar na praia.
Não há toque mais mistico que o de duas mãos com cheiro a mar.
nada mais electrificante que uma troca de olhares com o mar em fundo.
BONITO.

joana disse...

fascina me a tua maneira de escrever...
fico completamente fascinada, com vontade de ler sem parar...
muito bom mesmo...

mais uma vez parabens

bjinho********************

Cleopatra disse...

O Mar...
è um cenário comum a todos os enamorados...
Acho que não sobrevivem sem este cenário..
Alimentam-se desesperadamente dele..
Como se lhes fosse essencial ao amor que sentem um pelo outro...
O mar... sempre o mar e o Infinito...
Como que querendo prolongar no tempo e no espaço o amor que sentem
um
pelo outro.

Júlia Coutinho disse...

Só hoje reparei neste blog e, curioso, também eu sou natural de Caldas da Rainha, embora viva em Lisboa há muitos anos.
Mas aí vou regularmente.
Gostei muito deste cantinho.
Um beijo

Mystic's disse...

Bonito :)

Apache disse...

Gosto da Poesia de Eugénio de Andrade, mas não aprecio particularmente este. A imagem sim, é soberba. Andamos todos com saudades de praia, de mar, e talvez não só...

LusitanaPaixão disse...

VIva EVA!

Já estamos em Fevereiro...
E esta vida são dois dias com 3 do carnaval!
Que espera para escrever mais??

Bj.

DarkMorgana disse...

O poema é bonito...mas a imagem é linda!!!

Cleopatra disse...

ENTÃO!!!!!???????

Subscribe