O que aconteceria se o arcebispo de Beja fosse ao Porto e dissesse que era Napoleão?
Toda a gente acreditava que era. O presidente da Câmara nomeava-o Comendador. Iam buscar a coluna de Nelson, tiravam o Nelson e punham o arcebispo lá em cima. E davam-lhe vinho do Porto.
Então o arcebispo dizia:
- Sou a Josefa de Óbidos.
Ainda acreditavam que era, embora menos. O presidente da Câmara apertava-lhe a mão. Iam buscar o castelo de Óbidos, tiravam os óbidos e punham o arcebispo na Torre de Menagem. Além disso, davam-lhe trouxas d’ovos.
Nessa altura, convicto, o arcebispo de Beja afirmava:
- Sou o arcebispo de Beja. Não acreditavam. Davam-lhe imediatamente uma carga de porrada. E punham-no no olho da rua. Nu.

Mário Henrique Leiria, Contos do Gin Tónico
 Posted by Picasa

2 comentários:

F. Jorge disse...

Muito provavelmente, D. Rui, o justiceiro, ordenaria que se retirasse a imprensa e perguntaria ao intruso de que cor eram os suspensórios que usara na batalha de Waterloo.
D. Rio convocaria depois a imprensa, mandava retirar os jornalistas, e anunciaria que a Invicta assim continuaria (invicta).
Bj

Sofia disse...

Vou deixar o meu coment aki. Até pk adoro castelos... Uma beijoka... Passo cé no fds para ler com mais atenção...

Subscribe