Confundem-se as formas e as imagens.
É a natureza a entrar-nos pela carne.
Os corpos moldam-se às vontades dos desejos.
E estes marcados pelo correr do tempo.
São fogos que se apagam e outros que renascem em inundações de sentires.
A força telúrica da natureza a jogar com o corpo que habitamos. Sós.

6 comentários:

Apache disse...

Já tinha saudades de a ler.

xavier ieri disse...

Pois sim!
Mas o maior problema é o milho transgénico!
Quando a transgenia chegar às orquídeas é bom que as mulheres tenham consumido uma boa dose de milho transgénico.
Ao menos assim pode ser que a correspondência se manmtenha e, por via dela, a ousadia do sonho confundido pela visão inodora de pétalas entreabertas.
No fundo, no fundo, pena é não estarem orvalhadas.
Mas o mundo não é perfeito...

Nilson Barcelli disse...

Belo texto, a partir de uma boa e sugestiva foto.
Um Feliz Natal e um óptimo 2008 para ti e para a tua família.
Beijinhos.

o do costume disse...

Voltou a verve incendiada da rapariga ali da beira do mar. Upa.

Luis Eme disse...

A natureza, a bela, a selvagem...

GTL disse...

passei para desejar que tenham passado um Feliz natal e desejar um excelente 2008 ;o)

TG

Subscribe